Moscou – capital da Rússia e da Copa do Mundo 2018

Oiii, gente!!

A capital da Federação Russa também vai ser “capital“ da Copa do Mundo 2018, por abrigar vários acontecimentos futebolístico, o jogo de abertura, três jogos da fase de grupos, uma oitava de final, uma semifinal e a grande final.

Moscou é uma grande metrópole, seus 12 milhões de habitantes possuem perfil cosmopolita como a cidade, criada a beira do Rio Moscou, Oeste da Rússia.

A cidade chega a ser bem dividida para passear, acompanhe.

Grande parte do contexto histórico e político da cidade está dentro Kremlin (significa “fortaleza dentro de uma cidade“), dentro da grande fortaleza com vinte torres russa há cinco palácio (destacamos o palácio do Arsenal – todas as riquezas dos czares estão guardadas ali.), quatro catedrais e ainda abriga a sede do governo russo e a residência oficial do presidente.

Saindo das muralhas vermelhas do Kremlin, vamos a famosa “Red Square“ (Praça Vermelha) e sua grande atração, a fofinha (*-*) e exótica Catedral de São Basílio. A praça tem ao seu redor o Mausoléu de Lenin, o Museu Histórico do Estado, o centro de compras luxuoso GUM e o Kremlin. A praça foi construída para separar o cidade real (Kremlin) do bairro Kitay-Gorod.

P.s.: Muitos pensam que a origem do nome “Praça Vermelha“ é referência a cor das construções em volta ou até mesmo alusão ao comunismo. Nada disso, a origem é modesta, deriva da palavra russa красная (Krasnaya), que antigamente significava “Bonita“ com alteração no idioma, Krasnaya passou a significar “vermelho“. E então ficou “Praça Vermelha“ e não mais “Praça Bonita“.

Afastando um pouco da praça vermelha e do Kremlin, vamos rumo ao Teatro Bolshoi (15 minutinhos a pé da praça) e sede da Academia Estatal de Coreografia de Moscou mais conhecida como Academia de Balé Bolshoi (para os íntimos Balé Bolshoi), soberana no mundo da dança (focado no balé) e ópera. O prédio é no encantador estilo neoclássico, inclusive a fachada está impressa nota de 100 rublos russo.

Mais afastado ainda do Kremlin, temos o maior museu russo e um dos maiores do mundo dedicado a arte europeia, o Museu Estatal Pushkin de Belas Artes. O museu abriga muitas seções interessantes Arte do Antigo Egito, Arte da antiguidade Clássica, Galeria de Pinturas, Gravuras e desenhos, esculturas, Arte Decorativa e aplicadas, Coleção de Réplicas, Numismática (coleção de moedas e medalhas), Museu de Coleções Privadas e Memorial do apartamento de Sviatoslav Richter (pianista russo, com viés de pintor e admirador da arte). Ao lado do museu está a Catedral Cristo Salvador.

Enquanto o Museu Pushkin abriga a arte europeia, a Galeria Estatal Tretyakov é voltada para promover a arte russa. Valorizando os artistas locais que seguem a arte local. São mais de 130 mil artefatos russos, datados do século XI e XX. A famosa “Virgem de Vladimir“ está exposta na Galeria.

Outro ponto de interesse para apreciadores de museus é o museu ao ar livre Kolomenskoye, apresenta construções de vários estilos, o destaque fica para a Igreja da Ascensão com seu teto de madeira e estrutura de pedras e tijolos (inovação para a época), que está na lista de Patrimônio Mundial.

Para amantes de compras, a pedida é a rua Tretyakov Proyezd, um verdadeiro shopping a céu aberto com as maiores grifes do mundo. São tantaas lojas luxuosas que a pequena rua russa é conhecida como uma das “área mais caras do mundo”.

Quem procura por bons restaurantes, bares, pubs e muita badalação, a Rua Arbat é a melhor escolha, o movimento é intenso dia e noite na rua exclusiva para pedestres. Por volta da rua há o Museu-Casa de Alexandre Pushkin (famoso poeta russo).

Conhecida como a “Beleza de Moscou“, a Torre Ostankino oferece uma linda vista da capital russa do alto dos seus 540 metros de altura. Construída em 1967 foi a “estrutura autônoma em terra mais alta do mundo“ até 1976 quando a CN Tower, em Toronto no Canadá foi inaugurada.

Para os apreciadores do verde e da natureza, o Parque Gorky é a grande atração, no inverno, é o local para a patinação/o no gelo, além de sediar o Festival de Inverno Russo.

Realizar esses passeios utilizando o metrô torna o passeio muito melhor, as estações russas são liindas de morrer, com traços típico da Era dos Czares, são denominadas de “Palácios Subterrâneos“, não deixe de fora da sua lista!!

Gostaram das dicas? Deixem comentários!!

Não esqueçam de “amar” o post!

P.s.: As fotos foram retiradas da internet!! 😉