Gastronomia Lifestyle9 de junho de 2020

Rituais de café

image_print

Oláá, viajantes!!

Apreciadores de café, esse post é pra vocês!! Se você não é um apreciador de café, esse post também é para você. Vamos conhecer os rituais de café que existem nesse mundão?

Se engana quem pensa que a prática de degustar café é igual em todo mundo. O cheiro, o sabor, o grão, a torrefação e todo o processamento para chegar aquele líquido (muitas vez) preto na xícara é diferente, e talvez seja todo esse processo que encanta os “coffee lovers” em busca do café ideal quando viajam por aí.

Se você estar se perguntando o por que dessas diferenças no ritual de preparo do café. Muitas vezes decorre histórica de colonização do país, do armazenamento, da temperatura, os meios e uso de preparo e o significado que o café tem para aquela localidade.

Vamos apresentar como essa alquimia funciona em alguns países.

Etiópia

Há relatos que o café foi descoberto no século X a.C, na Etiópia. Com essa informação conseguimos imaginar o quanto o café é importante e tudo que envolve essa bebida.

Para ser ter noção, é a senhora do café (apenas mulheres fazem esse ritual secular), em um ambiente decorado com altar, que realiza a infusão em garrafas especiais, chamadas “jebena” emanando a frase “buna dabo naw”, que significa ‘café é nosso pão’. O ritual pode levar horas, e só termina depois terceira xícara. Garantem que a bebida tem aroma e sabor único.

E ah!! Café é servido com folhas de arruda e pipoca para estimular as papilas gustativas.

Sabe os cafés arábicos? Então, a Etiópia é sede geográfica desse tipo de café, além de produzir cafés mais elaborado com mistura de morango maduro, chocolate escuro, incenso, pimenta rosa, e rum envelhecido.

Turquia

A UNESCO colocou o café turco (“kahve”) no hall de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade, por toda a importância que ele teve/tem na Turquia e em territórios que fizeram parte do Império Otomano, como a Grécia e os Balcãs.

O ritual acontece da seguinte forma: os grãos torrados são moídos até virarem um pó fino e depois vão para uma espécie de chaleira de metal, chamada “cezve”, com água fria e aquecidos vagarosamente até produzir espuma. E por fim temo um café concentrado, forte e muito delicioso.

Lembramos que o café turco não é coado, logo fica aquela borra no final, que serve para ler a sorte da pessoa que degustou o café.

Colômbia

O café colombiano é considerado um dos melhores do mundo, com grandes produtores e com alta respeitabilidade no setor cafeeiro.

A Zona Cafetera é a região mais conhecida de plantação de café, e vale muito a visita, além de ter sido considerada Patrimônio Mundial da UNESCO. As regiões de Caldas, Quindio e Risaralda produzem a maioria do café colombiano

O ritual do café na Colômbia ocorre na colheita do café, onde os grãos são colhidos manualmente — e apenas os melhores! Na época da colheita foi criado um personagem: um senhor de bigode e chapéu denominado Juan Valdez. Juan representa e homenageia todas as famílias que produzem e vivem do cultivo do café na Colômbia.

Vietnã

Acredita que o Vietnã é o segundo maior produtor de café do mundo? E mesmo na Guerra do Vietnã os grãos de café continuaram sendo o nicho principal da economia local junto com o arroz?!

Com a sua diversidade geográfica o Vietnã consegue produzir diversas espécies de café, entre eles o Arábica e o Robusta (utilizado para café instantâneo).

O ritual é preparado de forma individual, com filtro direto na xícara. E a receita ë simples, anota aí:

– coloque o café moído no filtro;
– posiciona o êmbolo com os furinhos por cima do café;
– coloca a água quente e espera filtrar.

No final teremos um café beeem amargo, por conta da alta porcentagem do grão robusta, torra escura, temperatura fria da fermentação. Para diminuir o amargo, é comum usar leite, açúcar e até mesmo leite condensado.

Sabe o Luwak da Indonésia? Vietnã tem o Weasel, mamífero que come café e os grãos saem nas suas fezes fazem um café super saboroso!

México

Nem só de tequila vive o mexicano, o café também faz parte do cotidiano deles. O café é preparado em um bule ou em uma xícara de barro, chamado “Café de Olla” e o ritual ocorre da seguinte forma: inicialmente é inserido canela e açúcar (“piloncillo”), depois a água fervendo e condimentada, depois o pó do café é adicionado e coada.

Indonésia

Falamos dele nesse post Luwak Café no I love BAS Bali Coffee Plantation. Confere lá!! 🙂

Gostaram?? Conhece algum ritual de café que não citamos aqui? Deixe nos comentários sua opinião sobre o post, vamos adorar saber!!
E não esqueça de “amar” o post ?
P.s.: As fotos foram retiradas da internet.