Belas ruas pelo mundo

Olááá, queridos viajantes!!

Sempre dizemos que a melhor forma de conhecer um local é explora-lo a pé, preferimos altas caminhadas do que fazer uso de metro, por ser subterrâneo, perdemos muitas vistas e pontos interessantes, que até então desconhecíamos.

Ficar hospedados em hotéis bem localizados ajuda bastante o passeio a pé, além de andar pouco para os principais pontos turísticos, a chance de encontrar lugares fantásticos é maior.

Agora que locais seriam esses? Museus, praças, bares, cafés, lojas e etc??? Não, não e não. São belas ruas!!!

Isso mesmo senhoras e senhores, tem certos destinos que a própria rua é atração turística. Diversos são os motivos que atraem os turistas para essas ruas. A exuberante natureza, arquitetura antiga ou moderna, as luzes, o constante movimento de pedestres e/ou de carros e até mesmo o clima bucólico que transmite.

Separamos liiiindas ruas que valem atenção especial na hora de visitar a cidade. Vem com a gente!!!

Rua Gonçalo de Carvalho (Porto Alegre, Brasil)

Começamos com o Brasil, claro!! A beleza natural da rua encanta, são mais de 100 árvores tipuana, uniformemente plantadas na década de 30, criando um lindo túnel verde. O reconhecimento é tanto que a rua é Patrimônio Histórico Cultural e Ambiental da capital Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

Rua Emílio Sorgetz (Gramado, Brasil)

Ainda no Brasil e no estado do Rio Grande do Sul, subindo a Serra Gaúcha, na adorável cidade de Gramado, encontramos a “Rua Torta“ (nome fantasia), no bairro Planalto, em frente a Praça da Etnias.

A “Rua Torta“ de Gramado lembra muito a Rua Lombard Street, em São Francisco (EUA), por terem o mesmo estilo de ladeira íngreme. A nossa ”Rua Torta” tupiniquim apresenta flores e árvores e a curvas menos sinuosas.

Lombard Street (São Francisco, Estados Unidos da América)”

Eu vou para a Califórnia, o meu destino é… encontrar a rua com mais ziguezague do mundo. Na cidade de São Francisco localizamos a Lombard Street, entre as ruas Hyde e Leavenworth.

Idealizada, sim ela foi idealizada (não ela não “nasceu“ com curvas, apenas ladeira – hahaha), em 1922 por Carl Henry para substituir os 27 graus existentes e para possibilitar a passagem de automóveis. Hoje são 08 (oito) curvas estreitas para os 400 metros de ladeira. Os carros apenas descem (é mão única) a uma ínfima velocidade de 08km/h.

A rua norte americana também é famosa por ter sido cenário de vários filmes, dentre eles o famoso blockbuster “Doce Novembro“.

Orchard Road (Singapura)

Quer rua luxuosa, quer tombo, quer maravilha de grifes em um só lugar???? Então vá a Singapura e encontre a Orchard Road, principal espaço comercial nessa “cidade-país”

São restaurante com estrelas Michelin, sofisticadas redes de hotéis, shopping centers abrigando as melhores marcas nacionais e internacionais.

Só para ter noção do tanto que a rua é luxuosa, tem duas lojas gigantes da famosa marca francesa Hermes na Orchard Road, em menos de dois quarteirões de distância uma loja da outra. Algo extremamente raro para a grife, que costuma ter poucos endereços nas cidades mundo afora. Entenderam porque a Orchard Road é puro luxo?

Ruas da antiga Lijiang (Lijiang, China)

Em busca de ambiente bucólico, parado no tempo, precisamente no século XIII, mantendo suas tradições e costumes? Nada como um passeio pelas ruas da antiga Lijiang, na China.

Fincada no Sudoeste do país, aos pés da Montanha dos Dragões de Jade, Lijiang foge do tradicional em alguns quesitos, não há muros ou distribuição geométrica entre as construções, algo habitual na China.

O passeio fica ainda melhor com a distribuição de 300 pontes entre os canais, charme total!!! E para finalizar, a parte antiga de Lijiang é Patrimônio Mundial da Unesco.

Dentre tantas ruas, as que mais se destacam são: Qiyi Street Chongron Alley ou pela Wuyi Street Wenzhi Alley para algumas das vistas mais espetaculares da rua.

Via Vittorio Veneto (Roma, Itália)

Graças ao filme “La Dolce Vita de Federico Fellin” na década de 60 que o mundo conheceu a glamorosa Via Veneto, na capital italiana, Roma.

Na década anterior ao filme a rua italiana era sensação entre artistas, modelos da alta costura mundial, era o local para ver e ser visto.

A bela fonte “Fontana del Tritone”, hotéis de alto luxo (há hotéis medianos também), cafés, excelentes restaurantes integram mais ainda a pomba da rua.

Ruelas da cidade Chefchauen (Marrocos)

É no Noroeste do Marrocos, na cidade de Chefchauouen onde temos a possibilidade de conhecer a cidade famosa por seu tom azul predominante nas construções, oferecendo um charme singular para a cidade.

O motivo para o uso da cor azul é em decorrência da forte presença de judeus que acreditavam que azul é a cor do poder de Deus.

Rua principal de Molyvos (Ilha Lesbos, Grécia)

Neste caso, toda a ilha Molyvos é puro charme, qualquer canto um encanto. Passear pelas ruas dessa ilha grega é certeza de encontrar a mesma imagem, rua cobertas por flores.

Calle Ciegos (Jerez, Espanha)

Similar a rua principal de Molyvos, a Calle Ciegos em Jerez, na Espanha é mais um espetáculo da harmonia entre natureza e o homem (as construções). Imagine o quão adorável deve ser passear por essa rua, hein?!

Bregagh Road (Ballymoney, Irlanda do Norte)

Neste caso não temos uma rua e sim uma estrada singular. Conhecida como “The Dark Hedge” e “Estrada do Rei” é uma estrada ao longo da Bregagh Road entre os perímetros Armoy e Stranocum na cidade de Ballymoney, na Irlanda do Norte.

Além do belo cenário bucólico do túnel formados pelas árvores, o que chama atenção nessa estrada é o fato de ter sido locação para a célebre série Game of Thrones – GoT.

Faltou alguma rua incrível nessa lista?
Deixem comentários!!
Não esqueçam de “amar” o post!

P.s.: Algumas fotos foram retiradas da internet!! ?




Passeio de Balão – Os melhores destinos para voar de balão

Oiii, gente!!!

Passeio de balão é um dos passeios mais inusitados e dos mais imperdíveis quando se tem a oportunidade de realizá-lo. Vê o nascer do dia no céu, com um mar colorido dos balões é único e, sem dúvida, da um “up” na viagem. Agora, quais destinos oferecem passeio de balão?? Apresentamos para vocês as cidades que quase todo mundo conhece e as mais “diferentonas”. Acompanhe!!

Capadócia (Turquia)

A Capadócia é com toda certeza o lugar mais conhecido para passeio em balão. O passeio nunca decepciona, mesmo que para alguns acordar suuuper cedo seja chato, ao subir no balão e apreciar a paisagem única das cordilheiras, vales, vilarejos e as conhecidas casas esculpidas esquecem de tudo e só sentem a beleza da natureza. Pode se dizer que “quem não fez o voo de balão na Capadócia, não conheceu Capadócia.”

Bagan (Myanmar)

Talvez os nomes sejam desconhecidos, mas é de praxe conhecer a sagrada cidade de Bagan (no centro do país), em Myanmar e realizar o passeio de balão. E o que vamos ver?? Nascer do sol com 4.000 (quatro mil) templos budistas e uma natureza típica da região. E o resultado?? Uma paz sem igual!!

Vale do Loire (França)

Quem deseja passeio de balão com grau máximo de sofisticação, o local ideal é o Vale do Loire na França, o passeio inclui champanhe (estamos na França, chéri!! Nada de espumantes). Contrário da Capadócia e Bagan, no Vale do Loire, o passeio é realizado para contemplar o pôr do sol e os suntuosos castelos franceses, vilarejos, campos e o Rio Loire. É muito requinte e charme para um só passeio de balão.

Sossusvlei (Namíbia)

Quem disse que na África não tem passeio de balão?! É no deserto da Namíbia que a mágica acontece. Dunas vermelhas e/ou laranja/rosa (as maiores do mundo), montanhas rochosas, “fairy circles” e os tradicionais animais selvagens. O passeio acontece no amanhecer, e após aterrissagem é servido um delicioso café da manhã com champanhe.

Masai Mara (Quênia)

Ainda em solo africano, mas com outra bela paisagem para apreciar do alto de um balão. Dessa vez é no Quênia, em Masai Mara, sobrevoar a Reserva Nacional de Masai Mara e avistar alguns leões, girafas e outros animais silvestres e tribos locais, é, sem dúvida, inesquecível!! O passeio de balão em Masai Mara acontecer no nascer do sol.

Atacama (Chile)

Entrando na América do Sul, no país mais comprido do mundo, Chile. Apresentamos o passeio de balão no deserto do Atacama (perceberam outro deserto na lista de passeio de balão). Qual paisagem veremos no deserto mais seco do mundo? Vulcões, gêiseres, lagoas multicoloridas e desertos de sal. Gostaram? Os passeios acontecem de manhã, beeem cedo!

Ártico

É minha gente, o Ártico também apresenta a opção de passeio em balões. Toda a fauna local é vista do alto dos balões durante o passeio. Tanto as baleias migratórias, quanto as focas, pinguins, urso polares e os icebergs podem ser apreciados. Ah, detalhe, é no “verão” que há possibilidade de realizar o passeio.

Antes de realizar qualquer passeio de balão, procure empresas devidamente cadastradas na Secretária de Turismo do país onde vai realizar o passeio. Busque segurança e qualidade no serviço, só assim, você terá um bom passeio de balão!!

Deixe nos comentários, vamos adorar saber!!
E não se esqueça de “amar” o post!! ?
P.s.: As fotos foram retiradas da internet!




Desbrave a charmosa Amsterdam

Oii gente!!

Tulipas, canais, casa coloridas geminadas, bicicletas, coffe shops, tamancos, moinhos, queijos (MA-RA-VI-LHO-SOS!!), cervejas e mais outros pontos de referência que encheriam o post.

Todas essas atrações nos remete a um só país: Holanda!! E é sobre a capital Amsterdam que exploraremos aqui.

Em qualquer estação do ano há passeios únicos e imperdíveis, atraindo turistas do mundo todo.

Amsterdam é cosmopolita, rica (em todos os sentidos), movimentada, atraente, tem seu charme singular que encantam a todos que visitam.

Mas o que tem de tão bom por lá? Vem comigo que te mostro todos os bairros e suas atrações!!

Sobre os Museus de Amsterdam e só acessar esse link e conhecer o mundo dos museus holandeses.

Noordelijke IJ-oever

O bairro Noordelijke IJ-oever é a melhor definição da renovação urbana em conjunto com as belezas da natureza. Localizado na parte moderna da Orla Norte do Rio/Canal IJ.

Se de um lado do Canal IJ encontramos as tradicionais aldeias rurais (Nieuwendam, Ransdorp e Zunderdorp) com seus moinhos e tradicionais telhados, do outro lado (atrás da Estação Central), no Amsterdam Noord o verde impera em meio a muita arte de rua, arquitetura mais contemporânea, bons locais na beira do rio para passeios despretensiosos (os rooftops bombam por aqui). Uma balsa/ferry (acesso por trás da Estação Central) faz o transporte para o outro lado de Noordelijke IJ-oever.

Ainda usando a Estação Central como referência, bem em frente há o edifício EYE Filmmuseum e sua moderna arquitetura, na esquina tem o Centro Cultural Tolhuistuin, com música ao vivo, restaurantes e boas atrações culturais. Para uma vista de 360º da cidade nada como o A’dam Tower.

O bairro Noordelijke IJ-oever, ainda apresenta grande variedade de restaurantes (o casual Hotel de Goudfazant), bares, café (destaque para o Café de Ceuvel), boates e outros atrativos para agradável inicio de noite.

Quem quiser conhecer um pouco do estilo de vida dos holandeses, faça um passeio pela rua Buiksloterdijk e aprecie as casas e tranquilidade de Noord.

NDSM Wharf

NDSM Wharf (Nederlandse Dok en Scheepsbouw Maatschappij “Dutch Doca e Construção Naval Empresa” – tradução livre) é um bairro que mantém seus traços característicos dos estaleiros que existam por ali. Igualmente localizado a margem do Canal IJ tem uma essência cultural forte, o ponto de encontro dos artistas e jovens. Os antigos hangares, hoje são sede de cooperativas e lojas de artistas locais em ascensão.

Os Festas de diversos segmentos, apresentações, exposições, festivais de dança e uma grande variedade de outros eventos são frequentes em NDSM Wharf. Os bares (Café Noorderlicht melhor opção à noite) ocupam espaço com boa freguesia e ótima vista para a cidade, os restaurantes são bons, os drinques do Pllek Café fazem sucesso e a “praia” também, principalmente no verão.

Destaque total para o edifício de escritório Kraanspoor, parece um contêiner transparente suspenso, harmonizando com o estilo do bairro, o guindaste visto de várias partes, nada mais é que o Crane Hotel Faralda (inusitado!!) e cartão postal do bairro. Para quem gosta de Mercado de Pulga, o IJ-Hallen é parada obrigatória.

Ooster, Dapperbuurt e De Plantage

Quem deseja bairros com misturas de sabores, costumes e culturas de vários países?! O Ooster, Dapperbuurt e De Plantage são assim, típicas padarias turcas, restaurantes tradicionais do Oriente Médio, grifes francesas e museus de culturas internacionais.

Perto do centro da capital Holandesa, os bairros se fundem por serem semalhantes, apresentam muito verde, ruas largas, prédios datados do século XIX, restaurantes premiados e conceituados, muito museus e atrativos culturais.

O “verde” está no parque Oosterpark, e principalmente no Hortus Botanicus Amsterdam (Jardim Botânico de Amsterdam). Quem pretende mais que botânica de maneira geral, o zoológico mais antigo de Amsterdam Artis Royal Zoo oferta um aquário, planetário, museu zoológico e a única exposição de vida microscópica do mundo o Micropia.

A gastronomia é representada pelos Restaurante C, Badhuis Javaplein, Café-Restaurant De Plantage (dentro do Astis Royal Zoo) e o Restaurante Elkaar.

Os atrativos culturais (minha paixão!!) são inúmeros, os museus Tropenmuseum (Museu Etnográfico), Rembrandthuis (Museu-Casa de Rembrand), Hermitage Amsterdam (filial do museu Hermitage em São Petersburgo, na Rússia), Joods Historisch Museum (Museu Histórico Judaico), Verzetsmuseum (Museu da Resistência Holandesa) e Hollandsche Schouwbur (antigo teatro) e Dutch National Opera & Ballet são as opções de culturais para Ooster, Dapperbuurt e De Plantage.

Ooster igualmente ao NDSM Wharf apresenta seu mercado de pulgas, o Dappermarkt (fecha aos domingos e nos demais dias abre das 09h as 17h) e Waterloopleinmarkt, mas quem deseja compras fora desse tipo de mercado, apresentamos a Javastraat uma charmosa rua comercial, que apresenta além de boas lojas, cafés e restaurantes.

Quem deseja diversão e badalação encontra boas opções em um só lugar, no Volkshotel. Na cobertura temos o Canvas, escolha certa para apreciar bons drinques com preços acessíveis e uma linda vista para Amsterdam. O espaço ainda abriga a festejada Boate Canvas. No porão há o “hypado” Café Doka, igualmente imperdível.

Oud-West

Podemos chamar de área nobre de Amsterdam. Bem delimitado pelo parque Vondelpark e os canais Singel, Hugo Grootgracht e Kostverlorenvaart, ao norte de Amsterdam.

O que encontramos por aqui?? Restaurantes e lojas muuuito bem conceituadas e renomadas lojas de móveis (Friday Next e Wildernis são uma delas). As ruas do sucesso são: Clercqstraat e Jan Pieter Heijestraat.

Outra rua importante é Kinkerstraat muito movimentada e com comércio atrativo, por sinal, a Kinkerstraat “corta” a rua do famoso mercado Ten Kate Markt, ali perto está instalado o De Hallen Studios, antigo galpão industrial, hoje é Centro Cultural extremamente movimentado, tem cinema, dois restaurantes, praça de alimentação, artesanato e um hotel boutique (De Hallen Hotel). Completando a pegada cultural, uma visita ao cinema (e café) Lab111 e OT301 (consulte a programação pelo site oficial) são imprescindíveis.

Oud-West ainda guarda outras boas atrações, o Café Panache é o bar ideal para aproveitar a noite nessa região, a decoração no estilo “industrial chic”, cardápio sazonal com os melhores ingredientes da região e os coquetéis do bar conquistam os clientes. Ainda temos o Lot Sixty One, filial da cafeteria nova iorquina, o Lot dispõe de cafés de qualidade e comidinhas saborosas.

Quem deseja preparar sua própria refeição tem endereço certo, o Bilder & De Clercq, é simples: escolha uma das 14 (quartoze) receitas, pegue e pague pelos ingredientes e prepare sua comida. Saudável, fresca e sem desperdício e ainda acompanha vinho. Para os veganos e vegetarianos há o Meatless District, Dutch Weed Burger Joint e Vegan Junk Food Bar.

De Pijp

Indo para o bairro De Pijp (bem pertinho do bairro Oud-West), encontramos as grandes atrações holandesas que os turistas procuram. O célebre Heineken Experience (quem aprecia cerveja, aqui é o lugar), o famoso restaurante CT Coffee & Cocos (a espera vale a pena), o Mercado Albert Cuyp.

Para os apreciadores da arquitetura o Amsterdam School e sua estrutura no estilo do século XX – alvenaria arredondada e decorativa, janelas de ferro forjado – são parada obrigatória.

Amantes da natureza encontram no Parque Sarphatipark todo o verde do bairro.

No De Pijp há grande oferta de restaurantes, cafés e rooftops para terminar o dia e iniciar a noite. Destacamos os restaurantes Little Collins, Bakers & Roasters todos com ambiente descolado e super informal, o café Scandinavian Embassy é bem procurado e concorrido na hora do almoço. Para a noite, o sofisticado Twenty-Third Bar é a pedida, localizado no 23º andar do Hotel Okura Amsterdam (5*) é local para ver e ser visto com bebidas e petiscos de extremo bom gosto.

Quem procura compras, saibam que no De Pijp há lojas para todos os gostos, algumas são: joalheria Anna & Nina, a loja de roupas Charlie + Mary, Things I Like Things I Love (com pegada mais moderninha), a loja conceito Cottoncake e loja de decorações.

Oostelijke Eilanden e Oostelijk Havengebied

Para apreciadores de história marítima, navios e afins, esse é o bairro certo. Em Oostelijke Eilanden há relíquias do mundo náutico, a referência é o Scheepvaartmuseum (Museu Marítimo Nacional).

Nem só da vida marítima vive o Oostelijke Eilanden, o bairro com pinta de ilha (por ser isolada pelos canais), possui a área Ilha de Java, onde é possível admirar as construções tradicionais e modernas (Ponte Pythonbrug e os blocos de casa KNSM Island) perto das docas e canais. O Muziekgebouw aan ‘t IJ é uma linda sala de concerto a beira-mar, apresentando as melhores apresentações musicais da cidade, enquanto que o Bimhuis é o lugar perfeito para apreciar o melhor do jazz.

Pausa no passeio para visitar comidinhas e bebidinhas no Cafe Roest, bar beeem descontraído e descolado (hype style) que faz as vezes de centro cultural com exposições e apresentações para todas as idades. Cervejeiros de plantão, o Brouwerij ‘t IJ é destino certo para conhecer e apreciar uma cerveja artesanal e de quebra ficar admirando o maio moinho da cidade.

Oud-Zuid

Atravessando os canais, chegamos ao bairro Oud-Zuid, vizinho do bairro Out-West, formando a dupla de bairros nobres, sofisticados e elegantes da capital holandesa.

Enquanto o Muziekgebouw aan ‘t IJ é o local perfeito para concerto no Oostelijke Eilanden, no bairro Oud-Zuid o encontro certo para apreciar música clássica é o tradicional Concertgebouw com a renomada orquestra Royal Concertgebouw liderando as apresentações e encantando os visitantes.

Vamos de museu?! Van Gogh Museum, Moco Museum (Museu de Arte Moderna) e Stedelijk Museum (Museu de Arte Moderna Holandesa) junto com o Museu Rijksmuseum (belíssimo museu que guarda todas as relíquias e tesouros holandeses) estão na área de Oud-Zuid. Sabe aquele famosos totem “I Amsterdam” onde todo mundo tira foto??? Pois então, ele fica no Oud-Zuid na parte de trás do Museu Rijksmuseum.

O parque mais famoso de Amsterdam, Vondelpark, também está no limite do bairro junto com badalada e sofisticada rua PC Hooftstraat, a rua das famosas grandes grifes francesas (Chanel, Hermés, Louis Vuitton, Cartier), italianas (Gucci e Armani), suíça (Chopard) e alemã (Mont Blanc) e outras conceituadas grifes europeias.

Quem estima degustar chá, saiba que a casa de chá Blauwe Theehuis é o local ideal, o Vondelpark 3 é perfeito para qualquer refeição, o a localização não podia ser melhor, de frente para o Parque Vondelpark. De Vondeltuin e Groot Melkhuis também são ótimas opções para refeições principais, lanchinhos e fim de noite (happy hour!!)

Bos en Lommer

Na região Oesta da capital holandesa temos Bos en Lommer e uma atmosfera descolada, lembra muito o bairro NDSM Wharf, o diferencial é a inserção de espaços verdes (Rembrandt Park) e locais multiuso, exemplo do De Escola, prédio gigante que abriga, boate, restaurantes, galerias, teatros e ginásio. Outro lugar badaladinho é o hostel WOW, estilizado com bom restaurante e eventos e exposições culturais diariamente. Para atrações de renome e internacionais a escolha é o tetro Podium Mozaiek.

De Baarsjes

Vizinha-irmã do bairro Bos en Lommer, são distritos que praticamente se completam. A natureza, a jovialidade e a cultura em todas as suas faces ainda marcam presença em De Baarsjes. O diferencial?? As célebres ruas Jan Evertsenstraat (ou Jan Eef para os íntimos) revela lojas no estilo “moda conceito”, as convencionais lojas turcas (muito forte a presença da Turquia nessa área de Amsterdam), padarias e quitandas que vale a parada para degustar delicias preparadas na hora. E Witte de Withstraat, ostentando suas galeiras de arte (Het Sieraad e Meneer de Wit são alguns destaques). Outra atração é Mercatorplein, a praça vermelha que ocupa um quarteirão e apresenta construções tipicas da Holanda.

Quando a noite começar a aparecer, o Lokaal Café Edel Amsterdam e o Bar Spek são a pedida certa para ver e ser visto. O White Label Coffe é ideal para uma parada estratégica de passeio. Para um jantar calmo e refinado, dentro de um ambiente casual, o Café Partisan se destaca. Quem aprecia comida fresca e saudável, o Kesbeke fica sendo a melhor opção nessa região.

Zuidoost

Indo para o lado Sudeste de Amsterdam, temos Zuidoost, bairro predominante residencial com grande variedade étnico cultural (mais de 150 etnias presentes) mas com a maior concentração de espaço destinado a grandes eventos. Amsterdam ArenA, Heineken Music Hall (AFAS Live), Pathe Arena e Ziggo Dome estão por lá.

Dentre os locais para passear: Nelson Mandela Park (o melhor parque de Amsterdam para prática de quase todos os esportes), Museu Vrolik (Museu de Anatomia Humana).

Dicas para comer?! Temos!! O World of Food (misto de mercado com praça de alimentação de shopping) e o ICHI-E (o melhor japonês), junto com a patisserie Lebkov & Sons são as melhores opções gastronômicas no distante bairro Zuidoost.

Deixe nos comentários, vamos adorar saber!!
E não se esqueça de “amar” o post!! ?
P.s.: Algumas fotos foram retiradas da internet!




Centro Budista Khadro Ling – Templo Budista Tibetano em Três Coroas

Oii, gentee!!!

Quem sobe a Serra Gaúcha, muitas vezes se limita a conhecer a famosa dupla “Gramado/Canela” e esquece algumas cidadezinhas ali perto, caso da cidade de Três Coroas e seu belo templo budista.

O município de Três Coroas está localizado no Vale do Paranhana e seu nome foi escolhido por conta de um imponente pinheiro de três copas ou coroas, mas antes fincar neste nome, passou por outros (Linha dos Últimos Alemães, Vale ou Colônia de Santa Maria de Cima e Santa Maria do Mundo Novo e Mundo Novo).

Focando o post de hoje (prometemos falar de Três Coroas em um outro post) no Centro Budista Khadro Ling, localizado no alto das montanhas da Estrada de Águas Brancas.

Mesmo quem não seja adepto da religião e cultura tibetana vai se admirar e apreciar todo o Centro construído em 1995 sob o comando do mestre tibetano Chagdud Tulku Rinpoche, vale dizer, o maior Centro budista da América do Sul e há ainda a réplica do templo celestial de Zangdog Palri (Gloriosa Montanha Cor de Cobre) em Kogpo, no Tibete.

Ao chegar já nos deparamos com o suntuoso Templo Budista vermelho, a ideia ao construí-lo foi: estar pairando sobre as nuvens (!!!).

A arquitetura e todos os detalhes são impressionantes, são cores vibrantes, bandeiras, estátuas, rodas de oração, stupas (ou estupas) e a réplica de uma Terra Pura – estão abertos à visitação pública.

As bandeiras são dispostas em formato de roda, nelas há escritos, a religião crê que o vento leva os mantras para longe. As estátuas têm motivos tibetanos e representam as entidades aclamadas pelos budistas, e as rodas de oração estão em dois lugares do Centro, logo na entrada e na Casa de Rodas de Oração, em nenhum um momento elas deixam de rodar, é, jovem, 24 horas rodando sem parar e ainda emitem um som de sino enquanto giram, tudo isso é para emanar bençãos (amém!!!). Por fim, há as oito stupas, que representam a mente iluminada de Sidarta Gautama Buda.

No Centro budista ainda visualizamos retiros, cerimonias budistas e a comunidade de moradores e praticantes budistas, são eles os responsáveis por toda a manutenção e dependências das atividades desenvolvidas no Centro, tudo de forma voluntária.

Passando o templo vermelho Khadro Ling e um belo jardim notamos outro edifício religioso de origem budista, o famoso Zangdog Palri, possui o mesmo objetivo espiritual do original em Kogpo, difundir a cultura tibetana, símbolos e valores universais como a não violência e a clareza interior. Zangdog Palri é a Terra Pura de Padmasambava, “trocando em miúdos”, é ambiente excepcional surgido da mente iluminada.

A riqueza dos detalhes na arquitetura, da junção das cores vibrantes em tão perfeita harmonia reflete o propósito da Terra Pura: inspirar aqueles que visitam o templo a ressaltar sua própria riqueza de potencial interior, assim teremos um ambiente puro e semelhante a uma jóia, assim como é o templo Zangdog Palri. Bem dizia o mestre budista Dzongsar Khyentse Rinpoche: “a essência de Padmasambava é a mesma essência de nossa mente e coração”.

Como todo e qualquer templo religioso, devemos respeitar as limitações de vestimentas, a crença alheia, os espaços, os animais, os visitantes, espaços que podem ou não serem fotografados, a prática da fé e rituais, o silêncio e a paz do local.

Namastê!!

Gostaram?? Deixe nos comentários sua opinião sobre o post, vamos adorar saber!!
E não esqueça de “amar” o post ?
P.s.: As fotos são arquivo pessoal!

 




Florianópolis: os atrativos da ilha da magia

Oiii, gentee!!!

Capital do estado de Santa Catarina, Florianópolis também é conhecida como Ilha da Magia e para os íntimos, Floripa. Localizada no Leste do estado de Santa Catarina, é banhada pelo Oceano Atlântico e é uma das três capitais brasileiras que são “ilhas-capitais” no território brasileiro.

O por que de se denominar de Ilha de Magia? Reza a lenda que o nome veio dos folclores e lendas da ilha nos tempos mais remotos, onde bruxas a lobisomens tomavam conta do local, ao ponto de os pescadores ouvirem risada em alto-mar e terem suas embarcações roubadas sem explicações. Lendas a parte, a ilha é um encanto mesmo e tem sua magia com as praias lindas e tranquilas.

Destacamos os melhores pontos turísticos da cidade, prédios arquitetônicos que contam um pouco da história de Florianópolis, e claro, as mais belas praias da ilha.

Fortaleza de São José da Ponta Grossa

Estrategicamente posicionada entre a Praia do Forte e Praia de Jurerê, a Fortaleza de São José da Ponta Grossa integra o triângulo defensivo (junto com a Fortaleza de Santa Cruz de Anhatomirim e a Fortaleza de Santo Antônio de Ratones) da Baía Norte do estado de Santa Catarina. O passeio nos remete a época (1740) da ocupação portuguesa na ilha e ainda podemos contemplar uma bela vista no local.

Palácio Cruz e Sousa

Hoje o Palácio é sede do Museu Histórico de Santa Catarina, está localizado na Praça XV, no centro da ilha, mas desde sua construção no século XVIII, o Palácio Cruz e Sousa foi a “Casa do Governo”. Sofreu várias reformas arquitetônicas até manter os ares ecléticos na decoração. A suntuosa escadaria, acompanhada das balaustrada e os balcões em mármore de Carrara chamam atenção dos visitantes. Desde 1984 o Palácio foi tombado pelo estado de Santa Catarina e pelo município de Florianópolis.

Parque Municipal da Lagoa do Peri

Unidade de Conservação criada em 1981 apresenta o melhor modelo de infraestrutura de lazer e educação ambiental, aliada à preservação do meio ambiente. São mais de 2.030 hectares e ainda abriga a maior lagoa de água doce da costa catarinense, a Lagoa do Peri. Além da lagoa, o parque possui três trilhas ecológicas, com muitas cachoeiras, sítios históricos, córregos e outras atrações ecológicas e remanescentes da Mata Atlântica.

Projeto TAMAR

O Projeto TAMAR trabalha na pesquisa, proteção e manejo das cinco espécies de tartarugas marinhas no Brasil, todas com ameaça de extinção. Em Santa Catarina há sede do projeto desde 2005 na região da Barra da Lagoa, em Floripa.

Praia do Ingleses

É uma das praias mais conhecidas e famosas de Florianópolis. Localizada no bairro Ingleses, ao norte da ilha, possui 4,83km de extensão, sendo possível aproveitas vasta faixa de areia, mar aberto em tons de azul com poucas ondas. A praia do ingleses é o local indicado para passeios náuticos e sandboard (surfe de areia!!)

Praia da Joaquina e Dunas da Joaquina

No leste da ilha de Floripa, no Distrito da Lagoa da Conceição, temos a Praia da Joaquina, até o ano de 1975 era conhecida como Praia do Campeche. Os três mil metros de extensão são convidativos para surfistas e esportistas de outras categorias a beira mar. As Dunas da Joaquina também são procuradas para a pratica de sandboard. Quando a noite cai, a praia da Joaquina continua sendo o ponto de encontro para os agitos noturnos, com boa estrutura na orla.

Praia do Santinho

No Distrito do Rio Vermelho (40km do centro de Florianópolis) temos a Praia do Santinho. São dois km de extensão de praia com mar aberto e agitado. Nessa praia encontramos atrativos únicos, como a arte rupestre com mais de cinco mil anos e a Pedra do Santinho que deu nome a praia.

Praia de Jurerê Internacional

Bairro nobre e luxuoso de Florianópolis, Jurerê Internacional (até pelo nome sabemos que o nível social é outro) atrai muitos turistas e nativos que querem diversão de qualidade nas chamadas Beach Club. Aqui é música eletrônica e muito champanhe a beira mar. A praia que é sede desses encontros de alto padrão é a praia de Jurerê e seus 3km de extensão. No verão o movimento é intenso, mas ainda é possível encontrar um lugar ao sol com tranquilidade.

Gostaram?? Deixe nos comentários sua opinião sobre o post, vamos adorar saber!!
E não esqueça de “amar” o post ?
P.s.: As fotos foram retiradas da internet!