Bruges – O encanto da Bélgica

Oi, genteee!!!

Tem uma cidade muito fofa, mimosa, gostosa de visitar, situada na Região de Flandres, na Bélgica, a pequena, charmosa, histórica e encantadora cidade Bruges atrai muitos, mas muitos turistas mesmo, todos os anos.

O que encantas os turistas e habitantes da cidade? História, arquitetura, passeios pelos tempos antigos, gastronomia e seus canais que igualmente a Amsterdam, é chamada de “Veneza do Norte”.

É no Centro Histórico (Patrimônio Mundial pela UNESCO) da cidade que se concentram a maior parte das atrações. Na grande praça central Grote Makt encontramos o lindo prédio Julgado Provincial (atual Tribunal Provincial), Museu Gallery XPO Salvador Dali em homenagem a Salvador Dalí, Campanário, datado do Século XII, possui um impressionante relógio, um carrilhão de 47 sinos, ainda é possível subir os 366 degraus e ter uma vista deslumbrante da cidade e conhecer a Sala do Tesouro do Campanário, e as Estátuas de Jan Breydel com Pieter de Coninck símbolos da Revolução local e outros lindos prédios que fazem o cartão postal da cidade.

Tribunal Provincial

Tribunal Provincial

Campanário

Campanário

A Burg Square, outra linda praça, é possível avistar o Brugse Vrije (Palácio da Liberdade de Bruges) que abriga o Museu de Arte, o antigo prédio do Registro Civil (atualmente um Museu), Prefeitura Municipal, a Basílica do Sangue Sagrado onde se acredita estar o Santo Sangue de Cristo, o Prévoté (residência Episcopal). Nesta praça, os prédios possuem arquiteturas em cinco estilos (gótico, romântico, barroco, renascentista e clássico) diferentes.

Palácio da Liberdade

Palácio da Liberdade

Oude Civiele Griffie (Registro Civil)

Oude Civiele Griffie (Registro Civil)

Prévoté

Prévoté

Além das praças que concentram grande parte das atrações, em seus arredores descobrimos outras atrações como o Museu Groeninge (museu de pinturas e artefatos sacros), Arentshuis (museu com reunião das obras de Frank Brangwyn), Torture Museum Oude Steen (museu sobre as torturas praticadas na época medieval), Diamond Museum (Museu de Diamante de Bruges), e o Historium Bruges, museu dedicado sobre a história de Bruges, nele há chance de degustar as famosas cervejas Duvel no Grand Beer Café.

Ainda falando nos museus, agora em tom culinário, descobrimos em Bruges o Choco-Story (Museu do Chocolate), o Frietmuseum (Museu da Batata Frita). E os museus de cerveja: Bruges Beer Experience e Cervejaria De Halve Maan.

Choco Stay

Aos amantes da arte há o XPO Center Bruges, dentro do Centro de Conferências Site Oud Sint-Jan, com exposições permanentes de Pablo Picasso e Joan Miró e apresentações temporárias de outros grandes artistas locais e internacionais.

Para os devotos, além da Basílica do Sangue Sagrado, há a exuberante Catedral de São Salvador, a linda Igreja de Nossa Senhora (possui um museu), Seminário Maior, Capela Jerusalém em estilo medieval, Capela Nossa Senhora dos Cegos, Capela Nossa Senhora da Olaria, Convento Begijnhof, Igreja St. Anne, Igreja de São Jacob, Igreja St Giles e Igreja de São Walburgha.

Bruge possui o “Brugge City Card” que permite ao visitante, ao adquirir o cartão, a possibilidade de entrar em 27 museus, realizar um passeio de barco pelos canais da cidade e ter descontos em lojas e serviços.

Realizar turnê a pé, de bicicleta e até mesmo de barco pelos canais de Bruges torna o passeio mais gostoso e diferente. Descubra Bruges!

Gostaram ?? Deixe no comentários, vamos adorar saber!!

E não esqueça de “amar” o post.

Ps. As fotos foram retiradas da internet!!




Mercados de Natal

Oiii gentee!!!

O clima de Natal encanta a todos. São luzes, Papai Noel, duendes, alces, presentes, pinheiros, boneco de neve (nem tão de neve assim!!), guirlandas, bengalas doces, meias penduradas na lareira, e muitas outras informações que nos remetem ao Natal. Tudo para celebrar o nascimento do menino Jesus.

Além de todos esses elementos, encontramos, principalmente na Europa, os Mercados de Natal. É neles que temos a chance de imergir nas tradições do universo natalino, mais que adornos de decoração para o Natal, os mercados também disponibilizam a venda de comida, bebidas, musicais e artesanatos da região.

Dos tradicionais aos pitorescos, montamos uma seleção deles para você!!

Madrid (Espanha)

Na Praça Central (Plaza Mayor) de Madrid acontece o Mercado de Natal há mais de um século. As 104 tendas em madeira chamam a atenção com os lindos presépios na entrada. Uma atração a parte!!

sisters_in_travel-mercados_de_natal-madrid

Manchester (Inglaterra)

Com mais de 300 estandes espalhados pela cidade de Manchester, podemos crê que o clima está por toda cidade, mas é na Albert Square a maior concentração de estandes natalinos. É um dos maiores Mercados de Natal do Reino Unido.

sisters_in_travel-mercados_de_natal-manchester

Bruges (Bélgica)

Bonecos de madeira, chapéus, cachecóis e os maravilhosos/deliciosos chocolates belgas são facilmente encontrados no Centro Histórico de Burges, onde fica o Mercado de Natal.

sisters_in_travel-mercados_de_natal-bruges

Estocolmo (Suécia)

Em Estocolmo, o Mercado de Natal acontece na Praça Stortorget, oferecendo aos seus visitantes o melhor do artesanato e da gastronomia local. É de lei experimentar o tradicional biscoite de gengibre (Pepparkakor) e o pãozinho de açafrão (Saffransbullar) acompanhado do vinho quente (Glögg).

Copenhage (Dinamarca)

Os jardins Tivoli e seu Parque de Diversão ganham a típica decoração de Natal, pista de patinação (o lago congelado), espetáculos de quebra-nozes, o parque das renas, tendas com venda de artesanato e gastronomia loca.

sisters_in_travel-mercados_de_natal-copenhagen

Moscou (Rússia)

É na mítica Praça Vermelha a sede do principal Mercado de Natal de Moscou. O clima frio não afasta moradores e turistas em busca de adornos, comidas, bebidas e entretenimento natalino. Enquanto a maioria dos mercados encerra suas atividades no final de Dezembro, as vésperas do Réveillon, em Moscou, devido às tradições ortodoxas, os mercados funcionam até o final de Janeiro. Tempo de sobra para aproveitar a magia do natal russo!!

sisters_in_travel-mercados_de_natal-moscou

Praga (República Tcheca)

Considerados um dos melhores Mercados de Natal de toda Europa!!

A linda Old Town Square fica colorida com suas barracas oferecendo infinidades de opções de produtos para decoração, jóias artesanais, brinquedos, velas, cristais e artesanatos da região e, claro, comida. As tradicionais e saborosas salsichas assadas (klobása), os bolos e o pão doce Trdelnik são o carro chefe de procura no mercado. Para acompanhar essas delícias gastronômicas, nada como os vinhos quentes (Medovina).

Finalizar o passeio assistindo a concertos natalinos organizados pelas igrejas, ao lado de uma gigante árvore de natal super iluminada, faz toda a magia de Natal ganhar forma!!

sisters_in_travel-mercados_de_natal-praga

Vilshofen an der Donau (Alemanha)

Integrando a comitiva de Mercados de Natal diferente, temos o mercado da cidade de Vilshofen na der Donau, na Alemanha. O que torna o mercado singular é a presença do maior presépio de madeira do mundo, e, o simples fato de ser em um navio, a margem do Rio Danúbio, e não nas costumeiras praças centrais.

sisters_in_travel-mercados_de_natal-vilshofen

Valkenburg (Holanda)

Depois de um Mercado de Natal em alto-mar que tal um mercado subterrâneo? É o caso do Mercado de Cauberg, o maior e mais antigo Mercado de Natal subterrâneo. É nesta gruta que podemos encontrar lindos cenários e decorações com a temática de Natal, além da oportunidade de comprar presentes e enfeites para si e familiares. E apreciar o lindo musical.

sisters_in_travel-mercados_de_natal-valkenburg

Hamburgo (Alemanha)

Santa Pauli é um Mercado de Natal bem diferente dos apresentados por aqui. Localizado em um bairro portuário de Hamburgo, é voltado para o público adulto.

sisters_in_travel-mercados_de_natal-st_pauli

Gostaram?? Deixe no comentários, vamos adorar saber!!

E não esqueça de “amar” o post.

Ps. AS fotos foram retiradas da internet!!




10 pontos turísticos em Belo Horizonte

Oiii gente,

Belo Horizonte, ou simplesmente BH (Beagá) é capital do lindo estado de Minas Gerais, e sofre fortes incentivos culturais, religiosos e econômicos, que podem ser avistados em museus, memorias, igrejas, monumentos, parques e praças.

São muitas opções, muitas mesmo!!! Por isso separamos 10 pontos turísticos que valem a visita na capital mineira!!

01. Igreja São Francisco De Assis

Famosa pelo nome de Igrejinha da Pampulha, um dos maiores cartões postais de Belo Horizonte. Integrante do Conjunto Arquitetônico da Pampulha, a Capela de São Francisco foi inaugurada em 1959 e foi um grande marco na arquitetura da época com suas formas assinada por Oscar Niemeyer.

O interior da Capela agrada ainda mais ao se deparar com Via Sacra composta por painéis de Cândido Portinari. Os jardins são criação de Burle Marx, e as escultoras dos baixos-relevos em bronze do batistérios é de Alfredo Ceschiatti.

Religião e arquitetura misturados de forma harmonios levaram ao tombamento pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan); Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas gerais (Iepha/MG) e pela Gerência do Patrimônio Municipal.

sisters_in_travel-10_pontos_turisticos-belo_horizonte-igreja_sao_francisco_de_assis

02. Centro Cultural Banco do Brasil Belo Horizonte

Centro Cultural Banco do Brasil está presente em outras capitais brasileiras além de Belo Horizonte, tais como: Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo.

A missão é a mesma: Atuar como agente fomentador da cultura brasileira e oferecer à sociedade significativas expressões artísticas, proporcionando experiências interativas e transformadoras.

Um dos cartões postais da capital mineira, a sede do CCBB Belo Horizonte fica na Praça da Liberdade, em um prédio construído em 1926, que em 2009 recebeu restauração e adaptações para receber o CCBB BH, inaugurando oficialmente em 2013, participando do “Circuito Liberdade” – Complexo de antigos prédio da administração pública que se tornam espaços de cultura, artes e lazer.

sisters_in_travel-10_pontos_turisticos-belo_horizonte-centro_cultural_banco_do_brasil

03. Memorial Minas Gerais Vale

Também conhecido como Museu de Experiência, por remeter aos visitantes de forma interativa as tradições, cenários, sensações e experiências vividas pela sociedade mineira entre os séculos XVIII e XXI. O elo entre o passado e presente de forma dinâmica traz uma melhor compreensão da história mineira para seu povo e visitantes.

Inaugurado em 2010, no prédio histórico (datado em 1897) onde foi lançada pedra fundamental da cidade de Belo Horizonte, hoje, além de abrigar o Memorial, é tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais – IEPHA/MG. Toda concepção e manutenção do Memorial é realizada pela Fundação Vale.

sisters_in_travel-10_pontos_turisticos-belo_horizonte-memorial_minas_gerais_vale

04. MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal

O maior acervo de mineração e metalurgia do país não poderia estar em outro lugar, sediado em Belo Horizonte, o Museu das Minas e do Metal integra o Circuito Liberdade, destacando as expressões e identidades culturais do estado mineiro, além valorizar a formação e desenvolvimento sócio econômico da região. Tudo isso com a proposta de colocar a mineração e metalurgia em perspectiva histórica, desvendando a função do metal no cotidiano e desvendando seus mistérios, riquezas e diversidades.

A implantação e manutenção do MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal foi de responsabilidade do Grupo EBX no período de 2008 a 2013. A partir de Dezembro de 2013, a GERDAU assumiu a manutenção do Museu.

sisters_in_travel-10_pontos_turisticos-belo_horizonte-mm_gerdau

05. Palácio Das Artes

Grande complexo cultural para divulgação de arte e cultura em Belo Horizonte, localizado na região central de BH – Avenida Afonso Pena. Propõe aos visitantes experiências pela quantidade de espaços oferecidos como: Grande Teatro, Teatro João Ceschiatti, Sala Juvenal Dias, Cine Humberto Mauro, Grande Galeria Alberto da Veiga Guignard, Galeria Genesco Murta, Galeria Arlinda Corrêa Lima e Galeria Mari’Stella Tristão.

Ainda há mais espaços oferecidos: o Centro de Convivência João Etienne Filho, abriga uma biblioteca e midiateca, o Centro de Formação Artística e Tecnológica da Fundação Clóvis Salgado – Cefart – com oferta de cursos de teatro dança e música.

sisters_in_travel-10_pontos_turisticos-belo_horizonte-palacio_das_artes

06. Mercado Central de Belo Horizonte

Inaugurado no dia 7 de setembro de 1929, une em um grande terreno (próximo à Praça Raul Soares), duas feiras famosas em Belo Horizonte: Feira da Praça da Estação e da Praça da atual rodoviária.

No Mercado Central de Belo Horizonte se encontra toda a tradição, sabores, encantos e magia nas mais de 400 lojas. Percorrer os corredores temáticos “queijos”, “doces”, “artesanato”, “ervas“, “raízes”, “artigos religiosos” e as praças é aliar as compras a cultura, lazer e diversão para toda família. Além dos corredores temáticos tem as coloridas bancas de hortifrutigranjeiros, com variadas frutas frescas e deliciosas. E os produtos típicos da culinária local, como a goiabada, a famosa cachaça da roça mineira e queijo minas.

Além de tudo isso, ainda é possível encontrar algumas singularidades como a Capela com a imagem da Virgem de Fátima, onde pontualmente é celebrada a missa dominical as 7h. E a Cozinha Nestlé, com aula gratuita de culinária saudável e saborosa toda semana.

Muitas atrações e não sabe por onde começar? O Mercado Central disponibiliza visita guiada para grupos (20 pessoas por grupo) com guias bilíngües de segunda a sábado, das 09h as 17h e, aos domingos e feriados, das 09h as 13h.

sisters_in_travel-10_pontos_turisticos-belo_horizonte-mercado_central

07. Mineirão – Estádio Governador Magalhães Pinto

O estádio inaugurado em 1965, para os apaixonados por futebol, apelidado de “Gigante da Pampulha”, o Estádio Governador Magalhães Pinto, também conhecido como Mineirão, tem capacidade para 62 mil pessoas desde a última reforma para a Copa do Mundo 2014.

sisters_in_travel-10_pontos_turisticos-belo_horizonte-mineirao

08. Mirante Mangabeiras

No bairro Mangabeiras, atrás do Palácio do Governador está uma área de preservação ambiental de aproximadamente 35.400m² divididos em dois decks de madeira, o mirante proporciona uma visa singular da cidade e do Parque das Mangabeiras. Sinta a paz que só a natureza lhe proporciona em plena cidade.

sisters_in_travel-10_pontos_turisticos-belo_horizonte-mirante_mangabeiras

09. Parque das Mangabeiras

Considerado um dos mais belos pontos ecológicos de Belo Horizonte, o Parque das Mangabeiras, na Serra do Curral tem projeto paisagístico assinado por Burle Marx. 2,3 milhões de metros quadrados de mata nativa, com possibilidade de realização de trilhas, caminhadas em meio à natureza.

Muito bem estruturado, o Parque das Mangabeiras têm quiosques, quadras poliesportivas, brinquedos para crianças e espaços destinados a apresentações e shows.

sisters_in_travel-10_pontos_turisticos-belo_horizonte-parque_mangabeira

10. Praça da Liberdade

Construída em 1895 e finalizada dois anos depois, pode-se dizer que a Praça Liberdade é muito mais que uma praça, um grande complexo paisagístico que conseguiu reunir todos os estilos arquitetônicos que marcaram época na historia capital mineira.

Localizado na região Savassi, a Praça da Liberdade é também o encontro de quatro grandes avenidas da capital mineira: Cristóvão Colombo, João Pinheiro, Brasil e Bias Fortes.

sisters_in_travel-10_pontos_turisticos-belo_horizonte-praca_da_liberdade

Aproveite o melhor de Belo Horizonte, o Brasil é lindo!!!

Gostaram dos destaques? Deixe no comentários, vamos adorar saber!!

E não esqueça de “amar” o post.

Ps. As fotos foram retiradas da internet!!




Estação das Docas – a Puerto Madero dos paraenses

Olá amados e maravilhosos viajantes,

Gostaria de expressas minha imensa felicidade em falar da minha terra, da terra onde nasci….e modéstia à parte é linda e maravilhosa demais!!!

Um dos pontos que vocês não pode deixar de visitar é a Estação das Docas, inspirado em Puerto Madero, o belo e famoso porto argentino. Claro, que com as peculiaridades locais…afinal, foi uma inspiração e não cópia.

sisters_in_travel-belém-pará-brasil-estação_das_docas-360-externa

A Estação das Docas foi “construída” em 2000 no antigo porto fluvial de Belém, o complexo turístico oferece opções de gastronomia, moda, lazer e espaço para eventos e é a área interna é toda climatizada.

São 500m de extensão à beira da baia do Guajará, dividido em 3 armazéns totalizando 32mil m2 e com terminal de embarque e desembarque fluvial de passageiro.

Os armazéns são de ferro inglês com arquitetura característica da segunda metade do século XIX e os guindastes, marca registrada do complexo, vieram do Estados Unidos no século XX. No local havia também o Forte São Pedro Nolasco, construído em 1800 e destruído em 1825, após a Cabanagem, hoje o Anfiteatro.

O armazém 1 – Boulevard das Artes – oferta vários produtos como biojoias, roupas e artesanato regional. O armazém 2 – Boulevard da Gastronomia. E o armazém 3 – Boulevard de Feiras e Exposições. Além disso, o complexo turístico dispõe do Teatro Maria Sylvia Nunes e do Anfiteatro São Pedro Nolasaco.

sisters_in_travel-belém-pará-brasil-estação_das_docas-anfiteatro-360-externa

E claro, um lugar maravilhosos como este tem programações culturais constantes e gratuitas, tais como: Pôr-do-Som: apresentação de espetáculos folclóricos, todas às sextas-feiras, a partir das 18h, na Orla do Armazém 3; Música no Ar: Diariamente, os músicos interpretam o melhor da música paraense, nacional e internacional, nos Palcos Deslizantes; Cine Estação: oferece ao público um circuito de filmes alternativos; Teatro ao Pôr-do-Sol: o espaço é para a arte cênica popular com apresentação de peças teatrais infantis voltados às lendas amazônicas. Aos domingos, sempre às 17h30, no Anfiteatro do Forte São Pedro Nolasco.

No quesito gastronomia, a Estação das Docas tem restaurantes, que oferecem pratos típicos da região Norte e de outros lugares do mundo, preparados com o toque paraense, além de bares, quiosques, lanchonetes, sorveterias e bomboniere

Estação das Docas está localizada na Av Boulevard Castilho s/n Bairro Campina Belém/PA. O local oferece estacionamento pago.

Ah, e ainda está do lado do Ver-o-peso…aproveita e conhece os dois!!!

Gostaram da Estação das Docas? Linda, né?!

Não se esqueça de “amar” o post!! 😉

P.s.: As fotos são “Arquivo Pessoal”.




Registro: a cidade japonesa do Vale do Ribeira

Olá, viajantes!

Que tal conhecermos uma pequena cidade no Vale do Ribeira em São Paulo que vive sobre grande influência japonesa?! E inclusive, tem uma cidade-irmã no Japão, Nakatsugawa.

Eu vos apresento: Registro!

A influência japonesa é tão forte e presente na cidade, desde a colonização, que até hoje a população vive as tradições japonesas, como por exemplo, a celebração do Tooro Nagashi. Também podemos ver a influências japonesa nas placas de alguns prédios públicos, com dizeres em japonês e português. Sim, a polícia por exemplo tem escrito em português e japonês. Legal!!!

Agora, vamos visitar alguns pontos bem interessantes da cidade.

Praça Nakatsugawa

A cidade de Registro é o município representante da colonização japonesa de acordo com o tratado assinado em Nakatsugawa em 1980. A praça foi construída em homenagem à cidade-irmã Nakatsugawa, no Japão, feita com arquitetura e detalhes japoneses. E no Japão foram inaugurados a Av. Registro e o Bosque Cidade Registro em retribuição.

Praça Beira Rio

Nessa praça, que estende-se por uma pequena orla com vista panorâmica do Rio Ribeira, temos diversas atrações: o Monumento Torii – portal simbolizando o desembarque dos primeiros colonizadores-, o Centro de Educação Cultura KKKK, área de lazer, ciclovia, pista de skate e o Monumento Guaracuí.

Monumento Guaracuí

Ao chegar na praça é visível o monumento, são 7 metros de aço estilizados em forma da tulipa de Guaracuí. A escultura foi doada pela artista plástica Tomie Ohtake no ano de 2002, em homenagem aos imigrantes japoneses.

Centro de Educação e Cultura KKKK

Um nome bem intrigante e diferente, representam as iniciais dos empresários japoneses que fundaram a empresa na cidade para apoiar os imigrantes japoneses e centralizar as operaçðes comerciais, industriais e burocráticas dos Kaigai Kogyo Kabushiki Kaisha. A construção do Conjunto KKKK ocorreu entre os anos de 1920 e 1922 e é um marco da colonização japonesa no Vale do Ribeira.

A empresa KKKK funcionou até a Segunda Guerra Mundial com beneficiamento e armazenamento de arroz. E no ano de 1987 o prédio foi tombado pelo Condephaat e em 1990 foi adquirido pela Prefeitura de Registro. O local passou por restauração e hoje abrigar o Centro de Cultura e Educação, com salas de aulas, espaço para exposições temporárias e áreas de estar e convivência, além de uma nova edificação destinada ao auditório reversível, que possibilita apresentaçðes internas e externas e tem capacidade para 250 pessoas.

E no antigo engenho encontramos o “Memorial da Imigração Japonesa no Vale do Ribeira”, com o acervo de objetos doados pelas famÍlias descendentes dos primeiros colonos, como ferramentas, maquinários, fotos e mapas, além de obras de arte, inclusive uma obra de Tomie Ohtake.

Templo Budista

Junto com a colonização japonesa veio sua religião, e claro, podemos encontrar em Registro o Templo Budista Honpa Hongwanji (Templo do Juramento Universal de Amida, o Buda da Terra Pura do Oeste) construído em 1967.  Fica localizado na Av. Estados Unidos, nº 50 – Vila Nova Ribeira.

Associação Cultural Nipo-Brasileira de Registro – Bunkyo

Bunkyo, sede da Associação Cultural Nipo Brasileira construída com arquitetura oriental aqui são realizadas diversas atividades, como: yoga, tai chi chuan, massagem terapêutica e cursos de origami, ikebana, haiku, shodô e da língua japonesa. O Bunkyo fica na Rua Nakatsugawa, nº 165 – Centro, na Praça da Integração Brasil-Japão.

sisters_in_travel-registro-são_paulo-bunkyo-associaoção

Praça da Integração Brasil-Japão – Portal do Sol

A pequena praça tem como atrativo uma das esculturas comemorativas do centenário da imigração japonesa no Brasil do artista plástico Yutaka Toyota, o “Portal do Sol“. A escultura é inspirada nas antigas máquinas de beneficiamento de arroz e de chá. Para criar a obra, o artista utilizou as peças originais, simbolizando as benfeitorias que os japoneses e seus descendentes teriam proporcionado para a região.

Aqui tem a academia aberta para cadeirantes, interessante!

Igreja Matriz São Francisco Xavier

Construída pelo colonizadores japoneses por ser o Santo um dos mais importantes missionários católicos que pregou no oriente e morreu na China, cujo epíteto é “Apóstolo do Oriente”. Abençoada em 1926 por Dom José Maria Pereira de Lara e iniciada sua construção em 1928, a igreja tem fachada simétrica, duas pilastras retas que emolduram a imagem de São Francisco Xavier

sisters_in_travel-registro-são_paulo-igreja_matriz

Mercado Municipal

O Mercado foi reinaugurado final do ano de 2015, e atualmente conta com 62 artesãos e produtores locais. Dividido em duas alas, a de artesanato e alimentação. A primeira tem diversos produtos do artesanato local e da cultura japonesa. Na segunda parte, de alimentos frutas e comidas típicas. Meu destaque vai para a fruta cajamanga, uma fruta pequena, naturalmente azeda, mas maravilhosa em suco. O outro destaque é para a comida típica da região, considerada Patrimônio  Nacional: Moqueca Caiçara, essa não experimentei, pois vai peixe. Mas não deixe de prova, afinal é muito importante, e deve ser muito gostosa também.

Gostaram do passeio por Registro? O que acharam da cidade Nipo-Brasileira?

Quem conhece??? Deixe nos comentários, vamos adorar saber!!

E não se esqueça de “amar” o post!! 😉

P.s.: As fotos são “Arquivo Pessoal”!